sábado, 29 de dezembro de 2012

Lex mala

 
A jurídica norma é da morte porta,
lei de laboratório em tubo nascida,
no mal refinada e em rua vendida;
é luz enegrecida de vela no velório
por suor apagada antes do réquiem
não cantado por um ateu de batina.

Odeia da natura
as antigas regras
e da constituição
no céu legislada
ri em zombação,
desfaz as pregas
da legal atadura.

A justiça,
pura e lídima,
na verdade habita:
é fazer do sagrado
escrito o único rito,
pois no outorgado
decálogo se milita
toda legítima
sentença.

Nenhum comentário: