sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Santa Fome


"E, de manhã, voltando para a cidade, teve fome..."
(Mateus 21:18)
 
Tua fome seja antes vasta
que leve, frugal, modesta
como um só copo de leite
antes da noite da batalha.
Fome decente é a que dói,
é a que o vivo amortalha,
é a que renuncia o azeite
e vai sem firmeza à sesta,
ao sono da fera, da besta.
 
Tua fome seja a do jejum
rigoroso do santo monge,
sem pássaro que de longe
traga carne e pão algum.
 
Tua fome tenha o deserto
como mesa de banquetes,
o vácuo seja cálice incerto
dessas sedes inquietantes,
que aprofundam as lutas
e o luto dos que navegam
sem norte nas tormentas,
e mesmo assim rabiscam
o mapa do Novo Mundo.

Nenhum comentário: