sexta-feira, 15 de março de 2013

Louca cantiga para Helena

"Et visa sunt ante illos sicut deliramentum verba ista, et non credebant illis."
(Lucas 24:11)

Não direi não,
nem te falarei
que tua negação
afirma o silêncio
discreto do amar,
do positivo amar;
então o meu sim
será o sonoro não
dum legítimo ter,
dum amanhecer
que escorre a luz
cinza e lunar
além do
mar.

Queres olhar Deus?
Fechando os olhos
verás seu sol sorrir,
congelando a dor
no úmido deserto
do cáustico amor.
É aqui bem perto
que vendo o elixir
já industrializado,
qual velha receita
de minha bisavó,
quando a resfriada
canja ela cozinhou
para curar estupor.

As doideras que eu digo
são correias de mendigo,
são sementes de tristeza
tão elegantes em beleza,
que galerias de erudição
querem vias à alienação.

Nenhum comentário: