sexta-feira, 1 de março de 2013

Redenção

Salita al Calvario - Giotto (1267-1337)

"O Croce Fedele albero glorioso
unico è il fiore, le fronde, il frutto...
O dolce legno che con dolci chiodi
sostieni il dolce peso!"
(Marco Frisina)

Meus passos se apressam à Moriá.
Vou entregar a vida que morrerá
pela casta lâmina dum frio cutelo,
forjado na onipotência do martelo
que naquele duelo Miguel muniu.

O céu se vai cerrando em cortinas
e se aquece a terra com as batinas
que se prostam diante do Cordeiro,
que da Senhora um sorriso ordeiro
arranca ao se elevar na viva Hóstia.

Abrãao, com o ser em dor, martela
as mãos do Filho tal como naquela
tela de Velázquez, misteriosa e pia,
na qual aferrece toda atéia miopia,
na qual a Fé se mistura ao sangue.

Anjos ao fundo tocam a segunda
de Mahler, cujo coral nos inunda
com o silêncio do mudo sacrifício,
morto antes de ter o mundo início.
Estenda tua mão! Deus nos amou.


Nenhum comentário: