sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Tempo & Provação

"Tempus te tacitum subruit."
(Séneca)
 
Sumiu no horizonte meu sonho antigo
quando o último sorriso sumiu no mar
amarelado de abdicados pensamentos.

Pairou sobre o mundo por um instante
o grosso pó da minha estátua medieval
e foi-se logo diluir no minuto impreciso
de se contar a Deus as silenciosas dores.

Sumiu como se desintegra a geometria
das pirâmides apagando-se cada linha
do tempo e das pedras cada memória.
 

domingo, 18 de agosto de 2013

-- Sem título V --

Algum coral cantaria
na madrugada a ária
que um cego compôs
vendo o ego dos avôs?

A voz trêmula do tempo
vem contar que o templo
quis cair solitário pela luz
dormente da estrela-cruz
enquanto o oco mármore
ruía ante à santa árvore.

Algum tenor cantaria
ao meio-dia a hilária
opereta do visionário
ladrão do rei-hinário?

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Lux Æterna

Luz quieta que encomenda ao tempo
o negro do sol não nascido e o fulgor
da noite inacabada antes da alvorada.
Luz imensa que a pirotecnia dispensa
ao acolher o silencioso mistério da lua
encoberta pelas sombras do universo.