sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Noite clara da alma

De nocte consilium...
 
Ó noite pequena de grande sono
vens a mim como o mar brandir
tuas águas pesarosas na janela
do quarto que mais vê-me lendo
que deitado embalado pelo sono.
 
É o conhecimento certeiro e lento
que vai a luz acesa sedimentando
na alma privada de comum alento
que me consola o tempo passando
de letra morta à vida em contento.
 
Não é a noite clara do dia escuro
tão mais superior e aproveitável
à sabedoria que a suja carteira
rabiscada pela sonolenta manhã
dilatada pelo seco grafite escuro?

Nenhum comentário: