terça-feira, 19 de novembro de 2013

Correio aéreo ao tempo

Áurea auréola dos tempos
e argêntea argola dos ventos,
prende-se no ar os lamentos,
ilumina-se no alto os templos.

Digam-me aonde teus séculos
se escondem para ocultarem
que as rugas não lhes tocam
até os segundos mínimos.

Nenhum comentário: