quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Minha cidade


É tudo por aqui atrocidade:
findou o verão na atroz cidade,
acabou o tempo na atroz idade.
 
No altar o latim cessou de soar,
a velha deixou o véu sem orar,
o sino da alta torre caiu a rolar,
o povo não mais quer acreditar.
 
É o nada de lá a infelicidade
que derretendo a infeliz cidade,
perpetuou toda a infeliz idade.
 
É o chão sujo, tosco, rebaixado,
o novo átrio no qual é adorado
o barulho do plástico enervado
com massa de barro vomitado.

Nenhum comentário: