segunda-feira, 25 de novembro de 2013

-- Sem título VIII --

Susurra o lívio dia nascente
um canto de misericórdia,
anuncia em acorde piado
a piedade que assusta.
A cor de um pássaro
morreu miserável
quando abatida
caiu no nada
da gaiola.
É decente
a pena livrar
da dura palafita
de arames o bicho
que pros ares nasceu.
E vem a noite cadente
encher de sono a música
laboriosa da pia existência,
que silencia em nua tristeza.

Nenhum comentário: