quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

A gota que balança o oceano

Chamam-me "o pequeno e miserável sonhador."
Deixai que esta velha formiga empurre aos pés 
de Golias seus poucos e sólidos grãos de areia.

Deixai este tolo Quixote -- pobre e cego, nu --
ir se atirar, com espada, lança e escudo,
aos malignos moinhos deste campo deserto.

Com os dias de combate, virá a minha redenção.
Deixai que este incircunciso espectro de Sansão
abale para sempre os pilares da perdição.

Nenhum comentário: