sábado, 25 de janeiro de 2014

Árvore da Ciência do Bem e do Mal


Que é para o velho tronco esta folha que morre?
Sentirá ele o sumir da seiva visceral
quando um tão mísero ponto de vida se esvai?
Deixai que caia também este fruto imaturo,
para que diluído na terra ao cerne torne
e revigore o frágil galho que sustenta
do cosmo e do verme roedor o destino.

Nenhum comentário: