quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Anemia escatológica

Eis o vasto campo; 
e abaixo, amplo pasto.
Está seco, morto.
O verde é emplasto;
só osso, nenhum corpo.

A terra desistiu 
da tola existência 
e terror animou
a nua delinquência.

O mar, todo gasto,
é da lama o tipo;
e a roupa, hoje trapo,
é sudário limpo
no vácuo do Vasto.

Nenhum comentário: