segunda-feira, 31 de março de 2014

O peso na balança

A areia do deserto, úmida, não será barro;
e o reboco, pulverizado, tampouco terra.
Em toda paz há o eco oculto da guerra
e na brincadeira inocente, um sério sarro.

Que importa a textura da letra na parede,
se é o significado das linhas-veredito
que impõe ao mundo a odiada realidade?
Mene, mene, tequel, ufarsim: tal é o dito.

sexta-feira, 14 de março de 2014

Quando

Quando dos céus a gota for morna
e a nua terra secamente fria,
quando a folha se desprender no ar
e junto à raiz ancestral cair,

Quando a estrela verter negror
e a tocha na água se consumir,
quando o teu silêncio esbravejar
no tom das cargas de cavalaria,

Quando o tempo libertar a vida
e o relógio se despir do ponteiro,
então o meu salmo particular
pelos lábios do Além será lido.

quarta-feira, 12 de março de 2014

Inversão

"E me deram mal pelo bem, e ódio pelo meu amor."
(Salmo 109:5)
 
Deixai o oceano ir lá desaguar na miúda fonte,
deixai o grão menor da planície peitar o monte,
deixai os gigantes cerrarem dos anões as pernas,
deixai os loucos ministrarem lógica nas tavernas. 

É dia, é noite, é penumbroso meio dia corroendo
a luz, as trevas, o acinzentado clarão das razões
diplomadas não com aquelas góticas impressões
em pergaminho; eis com Comic Sans escrevendo

as cacográficas impressoras o ignorável destino
do nacional futuro, a inumana letra a humilhar
a tão tíbia mão do formando, prestes a ruminar
o papel que já lhe assegurará o emprego cretino.

Deixai o mudo dar a Caruso aulas de fino canto,
deixai o riso do homem honesto tornar-se pranto,
deixai a águia despenada cobrir-se de suína lama,
deixai o bem imolado até que se diga: o mal ama.

terça-feira, 4 de março de 2014

Silencio-me

Que tal o silêncio?
É ele o incêndio que o mundo consome.
Se a balbúrdia domina e o grito impera,
volta correndo ao sono da tarde antiga,
à noite das estrelas iluminando abismos,
ao dia das tochas apagadas sem temor.

Procura o silêncio!
Entre o virar de uma página e a leitura,
entre o travesseiro e o sono sem sonhos,
entre o fruto outonal e o aguçado paladar,
lá está o prêmio da tua santa resignação,
o troféu pelo dia em que perdido calaste.

segunda-feira, 3 de março de 2014

Impassibilidade

"Our patience will achieve more than our force."
(Edmund Burke)

Deixa estar. Deixa tudo ir e estar.
Ainda que este nada venha e rompa
o silêncio e dúvida semeie,
ainda que o velho portal fechado
pelo fogo seja consumido,
e o antigo caminho difícil
seja trilhar, deixa o mundo estar.