segunda-feira, 31 de março de 2014

O peso na balança

A areia do deserto, úmida, não será barro;
e o reboco, pulverizado, tampouco terra.
Em toda paz há o eco oculto da guerra
e na brincadeira inocente, um sério sarro.

Que importa a textura da letra na parede,
se é o significado das linhas-veredito
que impõe ao mundo a odiada realidade?
Mene, mene, tequel, ufarsim: tal é o dito.

Nenhum comentário: