quinta-feira, 10 de abril de 2014

Fertilidade

Na areia do deserto enterrada,
No rio profundo mergulhada:
Não será fecunda tua raiz.

Fita no chão o rabisco, o país.
Mira com coragem a alvorada,
Faz do tempo frutuosa jornada.

Levanta a voz. Silencia a vida
Dos cambaleantes, dos ébrios
Da racional taça partida.

Ouve como se regam os brios,
Adota a nutridora medida:
Gotejará oceanos tua vida.

Nenhum comentário: