terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Tenebris in lux

As trevas quando te querem aguilhoar 
tornam em arabescos as sombras,
contornam o negror do mal com a luz
mastigadora das chamas do inferno. 

Há fogo estranho em todo escurecer da alma:
é tenebrosa toda a iniqüidade que ilumina. 

Se o sol vires no céu o tempo congelar,
se flamejante carruagem estacionar
e querendo como Elias te transladar,
escuta!: é o Inimigo queimando estrelas. 

Não te laçará o passarinheiro com noite fria:
com falsa aurora de aconchegos te cegará.

Nenhum comentário: