segunda-feira, 20 de abril de 2015

Incerta variabilidade


Por que, Senhor, é variável o homem 
como a chama da vela da nau de Colombo?
Por que, inda assim, firme e acesa permaneceu
quando as vagas do Novo Mundo tempestade rugiam? 
Tu que criaste Pangea e com o míssil luciferino 
a partiste em seis humanos números, dize: 
Por que, Senhor, é variável o homem?

Nenhum comentário: