sábado, 16 de maio de 2015

Sê tu

Quando puseres os olhos no céu,
compreenderás que há por lá um véu
que te impede de discernir o além
enquanto te permite daqui enxergar 
a final posição do humano, do homem. 
É a terra, boa e quieta, que te sustém
quando miras o alto paraíso. É o baixo.
Sonharás uma vez mais
ou abortarás teu sono na inconsciência?
Quando sonhas, estás desperto
para o futuro que o espírito planeja.
Não acordes enquanto o travesseiro
quiser te contar acerca de ti mesmo
e desenhar nas paredes do cérebro
as idéias que rabiscam as muralhas
do planeta -- reino inconquistado.
Olharás outra vez para o céu,
em luar claro ou nuvem escura,
e a certeza da imensidão te guardará.
Marcha, marcha contra o teu mundo.
Ganha-o e sobe os montes.
Discursa antes para as florestas,
para as estrelas, para os anjos,
té que no púlpito das gentes
abras a boca e tua alma pela língua
aos homens diga: o Mundo
não vale a nossa alma!

Nenhum comentário: