quinta-feira, 2 de julho de 2015

A ermida

Não são as largas e verdes planícies
os campos onde habita a Liberdade.
É nas alturas, fortes e íngremes,
que ela repousa após certa idade. 
Esquece a idéia de emancipada realidade
e as anotações da querida vacuidade. 
Mira o topo, o pico, o sumo torreão 
donde o desbravador da verticalidade
brada ao mundo: Sou de mim irmão!

Nenhum comentário: