terça-feira, 28 de julho de 2015

O que acontece

As nossas circunstâncias, oh Deus!
As nossas circunstâncias são circulares:
rodopiam como as andorinhas nos céus,
como rodeiam o néctar os beija-flores.

As nossas contingências, oh Deus!
As nossas contingências são quadriláteras:
são incertas como os astros caldeus,
como os olhos misteriosos das panteras.

Os nossos contextos, oh Deus!
Os nossos contextos são linhas perdidas,
são nós de górdio tecidos por moiras loucas,
são rebeldes destinos, fixas imprecisões,
são qualquer coisa que odeia o singular.

Nenhum comentário: