quarta-feira, 15 de julho de 2015

Tríduo de uma quarta-feira ordinária

A DISLÉXICA:
Não é o léxico que desconheço.
É a palavra sem fim nem começo,
cheia de letras, vazia de significado:
estrutura de rabisco desenhado.

JERUSALÉM: 
Que é a luz, Senhor, que aqui
vai revelando o que terei aí,
quando para Sião eu me mudar?
Conta-me antes, já e agora,
onde será então meu lugar,
quando os anjos eu ouvir cantar.

ILUSÓRIA DICOTOMIA: 
Vós não me controlais.
Vós não sois dois. És um.
Sois um sendo eu.
Controlo-te, cérebro e coração:
És o que pensas e sentes
Na tua integral dualidade,
Que é uma -- uma só como sois
em mim. 

Nenhum comentário: