domingo, 23 de agosto de 2015

Laetitia

O olhar negro da fada vem toldar dos olhos o amém.
Que noturno hino suspirava Sybilla em Jerusalém? 
Vesta, doméstica chama dos leitos macios, despida
dança pelo vinho cálida ou pelo amor está abrasada? 

Como pode assim a visão assentir através do coração?
Cantos que lhe cantaram os anjos romperam a ilusão? 
Baila! Baila louca e desvairada, porque estes tecidos
se devem rasgar enquanto for por nós o branco luar.

Nenhum comentário: