quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Canção do Trovador [letra de música]

para a melodia da "Tarantella del Gargano"
Sete segundos no paraíso estive
Quando pousaram os teus olhos
Sete longos segundos nos meus. 
Bem me quer!

Por que desviastes assim o olhar
Quando na multidão te encontrei?
Com o tição cegaste minha visão.
Mal me quer...

Ouvi tua confidência cochichada
Às amigas quando o passo final
Da última quadrilha tu dançavas.
Bem me quer!

“Oh, aquele bobo”, também dizes
Quando outro qualquer te chama
Para bailar a Volta tão ofegante.
Mal me quer...

Mandaste-me teu lenço perfumado:
Nele tuas lágrimas se impregnaram.
Junto ao peito levo-o qual relicário.
Bem me quer!

Ao vinho festeiro cheirava teu hálito.
Por que te esquivas assim de abraçar
Quando o relógio vem o baile devorar?
Mal me quer...

“Como é doce o mel que sai dos favos,
Confessaste, jejuarei pelos teus beijos.”
Farta e faminta, senhora, eu te deixei.
Bem me quer!

Devolveste os preferidos chocolates
Como fora se lançam as suínas bolotas.
Sou-te agora tão amargo ao paladar?   
Mal me quer...

O carinho das cócegas e dos beliscões
É da paixão mais verdadeira o penhor.
Com amor a pele recebe todo o amor.
Bem me quer!

Que iníquos e injustos são os tapas,
Que desferidos com ais me chicoteiam.
A mão na face é flagelo para o coração.  
Mal me quer...

Nenhum comentário: