terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Ela, em síntese

Se não brilharem os olhos, não vale à pena. Almejar o que desejam os outros é coisa pequena.

Quero mais o pedalar livre que a carruagem dourada. Quero mais o galopar breve que a viagem rápida.

Que fiquem nas nuvens meus castelos. São humildes sonhos de grandeza. Se de pedra eles fossem erguidos, haveria guerra e à soberba eles serviriam. Château en Espagne!  

Uma grande casa pequena, abundando de gente. Cercas arredondadas e brancas como aquelas nuvens castelãs -- mas de açúcar, da madeira doce da amendoeira.  

Sem TV, com lareira. Sem PC, com prateleira aqui e prateleira ali, prateleira lá e prateleira cá: livros de páginas grandes e pequenas, antigas e novas. À História eu contarei estórias, porque historiadores são contistas frustrados.

Um jardim de hortênsias e maravilhas: para minha inocência e tua consciência, para minha baunilha e tua groselha.

Um casal de filhos, desta minha cor de oliva encarnada, correndo, caindo e brincando no vermelho barro que o pó vivifica -- calorosa vida, úmida existência.

Colecionarás as mais coloridas pinturas judias, as mais negras cerâmicas gregas e as mais brancas estátuas romanas? Colecionaremos, então. Rodin e Mestre Vitalino. A lira de Dante e o trompete de Louis Armstrong.

De ponta a ponta, o mundo na ponta da coreografia: para os dias de amor, o xote ritmado da sanfona e o tango apaixonado do acordeom -- pé no chão; para os triunfos solenes, os leves passos quase flutuando das valsas de Viena. Rosas do Nordeste e Morango do Sul.

Copo americano para a Coca-Cola com o hambúrguer gorduroso de sempre e xícara de porcelana francesa para o café do drama cérebro-coração. Água pura para a sede do corpo. Água fermentada para a saciedade da alma.

Os olhos brilham -- olha, olha no meu olhar, nestes meus olhos castanho-abismo: estas nossas quatro amêndoas estelares cintilam já desde ontem, fluem fagulhando hoje e hasta siempre! vão iluminar. A tua alma e a minha alma jorram da “uma só carne” de dois anjos indomáveis, de dois arcanjos indômitos.  

Nenhum comentário: