sábado, 23 de janeiro de 2016

Para minha lembrança [parte 2]

Não vá contar aos outros
Os teus ideais de criança.
Deixa tudo ser lembrança
No baú dos antigos ouros.

Os sonhos mais queridos
Nós deixamos sombreados,
Como as nuvens escuras
Guardam os luzidos raios.

Se soubessem o mistério
Que teu coração constrói,
Não te diriam impropério,
Sequer a palavra que dói.

Os anjos serão bons aios:
Carregarão as estruturas
Dos teus planos dourados,
Ainda no berço sonhados. 

Nenhum comentário: