sábado, 5 de março de 2016

Bilhete amoroso à uma linda moça louca

Teu cérebro embebido de adrenalina
Perde a linha quando é advertido:
Não tomarás do cálice da consciência
Que o anjo calado à noite te apresenta.
Morde a língua quando a palavra romper tua alma.
Se te amo, fada inebriada, amo-te quando
O sal da loucura adoça o vinho de fel.
Eu te via quando caminhavas entre as estrelas
E, contrariada, batias boca com os espíritos.

Nenhum comentário: