sexta-feira, 18 de março de 2016

Hino ao Senhor dos Novos Céus e da Nova Terra

Os campos se deixaram iluminar
Pelos passos mansos do Cordeiro.
Onde estão os lobos que balem
Astúcia quando a noite vem cair?

Se um clarim ressoar tranqüilo
E uma trombeta atormentar o dia,
O mundo se inundará de alegria,
O céu jubilará os cânticos de Sião.

A luz atravessa os vitrais coloridos
Clareando o corredor da paróquia,
Polindo com raios eternos o cálice
Da aliança entre Deus e os homens.  

As rachaduras do piso planetário
Unem-se cimentadas pelo Sangue:
Outra vez é uma e perfeita a terra.

As nuvens volvem ao seio original,
Infiltrando-se nas fontes do abismo:
Outra vez é límpido e acessível o céu. 

Nenhum comentário: