quinta-feira, 28 de abril de 2016

Elegia. Ou: Jeremiada precoce

"Não vos comove isto a todos vós que passais pelo caminho?" 
(Lamentações 1:12)

Para que a vida seja uma grande linha de chegada,
Para que o fim seja um começo a si mesmo iludido,
Para que a existência seja sua conhecida finalidade.

Não se pode correr quando as pernas querem voar,
Não se pode caminhar quando os pés querem parar,
Não se pode sentar quando os dedos querem saltar.

As nuvens mesmas se rasgam quando a água desce,
Os lírios mesmos se desnudam ao parir seus brotos,
As estrelas mesmas se apagam para admirar o sol. 

Nenhum comentário: