sexta-feira, 1 de julho de 2016

O tempo

O tempo -- útero da vida.
Carregado de ponteiros,
De setas castelãs e poeira,
Descasca o lábio da moça.

O tempo -- cal sobre o corpo.
Escoadouro de luz e areia,
Atira calendários no templo
Na arca da eternidade.

O tempo -- movimento puro.
Adornado de louros romanos
E de apoteoses gregas,
Enverniza o tronco podre. 

Nenhum comentário: